Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Disco Plano

29
Out17

Spotify's Last Week

O Capitão Fantástico

Boa noite, passo aqui mais uma vez, desta para deixar os artistas que mais ouvi na semana de 23 a 29 de outubro. Através deste post dá para perceber que ouve uma ligeira mudança da semana passada para esta, com música mais calma a ser tocada no meu Spotify, o artista da semana é o Ed Sheeran e esta semana teve 21 canções a menos a serem tocadas do que na semana passada. 

artists scrobbled from 23 to 29 october.png


Castle On The Hill é a faixa da semana, mas para além do 1º lugar ser de quem já se sabe, Noiserv aparece também, sem surpresas, artista do qual tenho a discografia quase completa, tenho até DVD's, uma t-shirt e 2 quase 3 concertos vistos (isto porque já tenho outro concerto com bilhete adquirido que irei ver em mais ou menos 2 meses), Cage The Elephant já faz parte, oiço há um ano e gosto bastante, Imagine Dragons desce 3 posições, sendo que ouvi 12 vezes porque só ouvi 1x o último álbum e aparece Miguel AJ no último e 5º lugar porque ouvi o Giesta, como sempre gosto de fazer, pelo menos 1x por semana.

Para a semana há mais! Experimentem Noiserv, vão gostar.

26
Out17

Stranger Things

O Capitão Fantástico

Com a chegada da 2ª temporada da série que mais gosto de ver no serviço de streaming Netflix, não poderia deixar de partilhar convosco uma das minhas bandas sonoras favoritas de sempre! 

 

Foi ao longo da 1ª temporada que me fui apaixonando pelo trabalho de Kyle Dixon e Michael Stein e por achar que é um trabalho imperdível decidi partilhar: 

 

 

 

Primeiramente eu deixei aqui a banda sonora completa, no entanto quem faz upload da mesma no YouTube acaba sempre por ver o seu vídeo removido, então decidi deixar uma das músicas que é cantada até pelas próprias personagens da série, nomeadamente pelo Jonathan e o Will Byers.  

 

An hour of music which can be moving, transcendent, invigorating and relaxing all in a matter of minutes.
 

 

24
Out17

Spotify's Last Week

O Capitão Fantástico

Boa noite, passo aqui só para deixar os artistas que mais ouvi na semana de 16 a 22 de outubro, irei sempre postar todas as semanas ao domingo, mas hoje teve de ser assim, tardio. 

Através deste post dá para perceber porque escolhi falar dos Imagine Dragons esta semana, fazendo uma crítica ao último álbum, veremos do que falarei na próxima semana... Entretanto, esta quarta pretendo trazer mais novidades!  

artists scrobbled from 16 to 22 october.png


Para além do 1º lugar, Bombay Bicycle Club é uma banda que já oiço há mais ou menos 7 anos e é uma surpresa ter ouvido tanto, porque já não ouvia há um mês pelo menos, Circa Waves foi-me partilhado pelo meu irmão mais velho e acredito ser uma das últimas boas bandas de Indie Rock puro, com "Young Chasers" a ser o melhor álbum, The Beatles é The Beatles Ed Sheeran é a minha parte mais "soft" a vir ao de cima, gosto bastante do último álbum dele, também. 

 

23
Out17

Evolve (Album Review)

O Capitão Fantástico

Se for para ser sincero, nunca gostei muito de Imagine Dragons, mas ontem recomendaram-me a “Walking The Wire” que é do último álbum deles, ouvi de mente aberta e fiquei… Viciado no álbum todo. Começa com “I Don’t Know Why”  que é quase um grito de desespero quanto a qualquer sentimento amoroso que possamos sentir, Dan Reynolds mostra que sabe e que tem o que é preciso para cantar, a bateria por trás marca o ritmo de uma entrada quase perfeita para este que é o 3º álbum da banda. Em “Whatever It Takes” ainda podemos tentar acompanhar, mas mais uma vez, na voz faz-se ouvir o talento puro de um bom vocalista, melhor só quando entra o refrão e se ouve os vocais de suporte e sabemos que vamos ficar com a frase “I love the adrenaline in my vains, I do what it takes” na cabeça, pelo menos eu fiquei.

No topo da ascendência num álbum que começa de forma muito boa, aparece “Believer”, esta canção já se fez ouvir tantas vezes que penso que o seu eco ainda se ouve se desligarmos o rádio do carro, a bateria mais uma vez em passo combinado com as palmas marca o ritmo, a entrada para o refrão é súbita e as guitarras fazem-se ouvir de uma forma quase à Muse mas mais suave e é também sabido que este refrão vai ficar na cabeça durante muito tempo, poucos serão aqueles que conseguirão cantar como este vocalista (já é cansativo tanto elogio ao mesmo, eu sei) mas podemos tentar o nosso melhor num karaoke desleal.

Em “Believer” podemos parar um pouco e reparar que as letras deste álbum são igualmente de boa qualidade, quando surge a tal que me foi recomendada eu rendo-me logo, é a minha favorita do álbum e não me canso de “take what comes”, “take what comes” e repito sem me cansar “we’re walking the wire, love!”, esta é a música Pop Rock perfeita para mim, tem uma entrada slow, com uma letra cativante, a batida é simples, as palmas acompanham, a voz faz-se ouvir bem e dá vontade mesmo de ir a ouvir isto aos altos berros enquanto se atravessa uma ponte qualquer em direção ao pôr-do-sol!

“Rise Up” e “I’ll Make It Up To You” marcam o passo para uma “Yesterday” já diferente de todo o álbum, algo que os Imagine Dragons mostraram conseguir fazer antes e continuam a fazer, parecem bandas diferentes e mentiram, não é só imaginar dragões, mas também imaginar um universo todo novo, Evolve a esta altura já me conquistou e vem pra ficar como um dos álbuns que nunca me vou cansar de ouvir.

Apesar de “Walking The Wire” porque foi o fio de ligação entre eu e este universo musical, a Thunder é a minha música de eleição, fala da história do vocalista que cresceu numa família Mórmon, era e diz-se ser ainda um rapaz normal, tinha óculos e aparelho e não era de todo o rapaz famoso da escola, mas no seu quarto almejava ser o que pudesse no mundo da música, eu agradeço por ele ter tentado e ter mostrado o seu mundo a nós.

Para mim, este é um sólido 7/10, talvez porque sinto que é um álbum simples e podiam ter explorado melhor alguns temas do mesmo, sinto que esta banda pode ser capaz de fazer melhor, mas por agora, aproveito e vou ouvindo este álbum e a banda que ficou em 1º lugar das bandas que mais ouvi esta semana.

Imagine Dragons – Evolve, eu oiço no Spotify, oiçam onde puderem, mas oiçam.

 

1200x630bb.jpg

 

16
Out17

Ao vivo!

O Capitão Fantástico

Uma das minhas rubricas vai passar por falar dos concertos que já tive a oportunidade de ver e os que irei ver no futuro, pra já deixo-vos com a lista de concertos que penso terem sido realmente relevantes e que tenha visto na íntegra ou pelo menos 95% do set. 

 

Mão Morta / The Kooks / The Gift / Slash / Tame Impala / Kasabian / The Drums / The National 
Fingertips / The Walkmen / The StrokesElbowJake BuggFoalsBombay Bicycle Club 
Rui Veloso (2x) / Sean Riley & The Slowriders / Brandon Flowers / The Kills (3x) / Jorge Palma 
Arctic Monkeys (2x) / Arcade Fire / X-Wife / Woodkid / Albert Hammond Jr. / Blur / Virgem Suta
Beirut / Portishead / Disclosure (2x) / Eddie Vedder / The Legendary TigermanThe Maccabees 
Benjamin Clementine / The Temper Trap / Bomba EstéreoDJ ShadowFoo Fighters 
Warpaint / Tiago Bettencourt (2x) / Noiserv (2x) / Miguel Araújo e António Zambujo / Ana Moura
Os Azeitonas / Capitão Fausto / Nélson FreitasMárciaDeolindaMystery Jets (2x) 


A negrito estão os concertos que considero inesquecíveis e a itálico os que vi, mas que não sou realmente "fã" da banda ou do artista.

Ao todo vi 57 concertos na íntegra ou pelo menos 95% dos mesmos e no futuro irei ver muitos mais, posso adiantar que na próxima quarta-feira, irei falar sobre um destes artistas acima mencionados, e as pistas que adianto também são: é uma banda e foi das que mais vi ao vivo até hoje. 

O meu próximo concerto: Miguel Araújo no Coliseu dos Recreios a 11 de novembro de 2017, bilhetes ainda à venda.

16
Out17

Adna

O Capitão Fantástico

Para começar uma das minhas rubricas, venho falar de uma artista que já oiço mais ou menos há 2 anos, gosto muito do seu trabalho e acho que merece a atenção que não teve até agora.

Adna é uma rapariga de 23 anos que nasceu na Suécia, tem origens na Bósnia e vive agora na Alemanha, já lançou 3 álbuns desde então com os nomes: "Night", "Run, Lucifer" e "Closure", é uma rapariga de semblante melancólico que se transpõe para a sua musicalidade, para as suas letras e para tudo em seu redor, no entanto e apesar de ser tão melancólica ao olhar, a sua música tem a capacidade de espertar não só isso em nós, mas muito mais, como "esperança", que para mim, por exemplo, é a palavra que mais se encaixa nesta artista. 

Com apenas 23 anos já conquistou um lugar na minha biblioteca de música do Spotify e nos últimos 7 dias foi a 2ª artista a ser mais ouvida no meu Smartphone. 

Experimentem, não custa nada e vale a pena! 

 

 

Pág. 1/2

Próximos espetáculos que vamos ver:

Ben Howard - Coliseu dos Recreios a 27/05/2018

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D